distribuição e logística erros para evitar

Distribuição e logística: confira 5 maiores erros

A logística pode se tornar uma área estratégica dentro das empresas, à medida que desenvolve soluções para otimizar os processos, ajuda a integrar as áreas e a aprimorar os resultados do negócio como um todo.

Mas para isso, é preciso investir em planejamento e criar meios de corrigir as falhas. Nesse sentido, listamos alguns erros de distribuição e logística que precisam ser evitados. Confira!

1. Não planejar a distribuição e logística

O planejamento é crucial para que os processos estejam bem estruturados e garantam os resultados que são esperados. Isso também vale a para a distribuição e logística, ainda que elas sejam responsáveis por gerir atividades altamente operacionais.

Logo, é preciso planejar os objetivos, avaliar a situação do mercado, fazer um levantamento da demanda futura e criar um plano de ação com base em todas as premissas que foram elaboradas. Isso pode — e deve — ser feito em curto, médio e longo prazo, visando orientar o melhor caminho a ser seguido.

2. Não utilizar embalagens adequadas

O investimento adequado em embalagens também é algo fundamental para a distribuição e logística. É preciso tomar cuidado com grandes economias na hora de adquiri-las, pois elas podem representar prejuízos futuros — decorrentes dos danos causados durante a movimentação e transporte.

Da mesma forma, também é preciso ter o cuidado de usar uma embalagem adequada para cada tipo de produto. Caixas maiores podem fazer com que os itens fiquem instáveis, podendo sofrer arranhões e amassados, por exemplo. Por outro lado, uma caixa muito apertada pode rasgar e também causar avaria no item.

3. Não otimizar as rotas

O planejamento de rotas consiste na elaboração de um percurso de entrega mais otimizado possível, levando em consideração todos os pontos de entrega, o gasto com combustível, o caminho que será percorrido, entre outras variáveis.

Quando essa atividade é feita inadequadamente, ou deixa de ser realizada, corre-se o risco de elevar os custos operacionais e gastar mais tempo do que o necessário para entregar os pedidos aos clientes — o que pode acarretar atrasos.

4. Deixar de controlar os custos

Os custos logísticos podem representar uma grande conta para as empresas, principalmente pelo gasto com o frete e a manutenção dos estoques. Por isso, é necessário acompanhar de perto os custos operacionais.

Dessa forma, é possível identificar se alguns deles são supérfluos e quais são as oportunidades de redução que cada processo oferece, sem que se prejudique a qualidade dos produtos e serviços oferecidos.

5. Não fazer o rastreamento dos pedidos

O monitoramento e rastreamento dos pedidos permite acompanhar o status das entregas e identificar qualquer ocorrência que possa atrapalhar o resultado — como os atrasos, por exemplo.

Assim, o gestor consegue tomar decisões de maneira mais ágil e precisa, além de ter a possibilidade de notificar os clientes a respeito de suas entregas e melhorar o atendimento ao consumidor, munindo a central de informações.

A distribuição e logística são responsáveis pela última etapa de um processo de vendas, se caracterizando como o principal elo entre a empresa e o cliente. Portanto, mesmo que os processos internos estejam padronizados, é preciso garantir que essa etapa também seja bem estruturada. Caso contrário, todo o esforço empregado para satisfazer os consumidores pode ser em vão.

Gostou desse artigo? Suas dúvida a respeito do tema foram esclarecidas? Então aproveite para seguir nossos perfis nas redes sociais (Facebook, Twiter, Youtube e LinkedIn)  e continuar acompanhando os conteúdos e outras novidades que postamos!

Esse artigo foi útil?
[Total: 1 Average: 1]

Posts Relacionados

Deixe seu comentário