Social commerce: Como trabalhar com essa nova tendência de mercado?

Você sabe o que é o social commerce? Talvez você não conheça esse termo, mas com certeza já garantiu uma comprinha online. Afinal, quem não fica animado com uma compra online, não é mesmo? O social commerce é um termo usado para representar a união entre as redes sociais e o e-commerce. Ou seja, basicamente ele é uma prática que vem tendo bastante destaque por realizar vendas em redes sociais, páginas, grupos on-line ou aplicativos.

Essa prática traz grandes resultados por engajar o público e diversificar os canais de contato com seus clientes. Entretanto, algumas empresas que apostam nesta tendência de mercado trazem como proposta a compra em grupo, revenda ou itens usadas.

Portanto, é importante ressaltar que essa tendência encara o desafio da logística, tempo e a confiabilidade de quem compra, pois é uma tendência que ainda está passando por melhorias. Aqui no Brasil, por exemplo, a maior queixa dos consumidores ocorre pelo não recebimento de suas mercadorias.

Quais são as principais vantagens ?

O social commerce traz diversas vantagens por ser algo online, imagine a quantidade de clientes que podem ser gerados com estratégias de marketing digital. Mas claro, isso não viria da noite para o dia, pois essas estratégias requerem estudos sobre o comportamento de consumo do cliente. Muitas pesquisas sobre o tempo gasto pelas pessoas na internet surgiram nos últimos anos e uma delas foi o relatório Digital in 2019, feito pelo site We Are Social.

Nesse relatório é apontado que em média os brasileiros gastam 3 horas e meia online nas redes sociais diariamente, ou seja, a internet gerou oportunidades de diversas empresas se destacarem. 

E atualmente, essas empresas passaram a usar as redes sociais para gerar autoridade e passar confiança para os consumidores. Ou seja, elas começaram a usar gatilhos mentais (prova social) para mostrar aos seus clientes os resultados do seu produto ou serviço. 

Mas, ao usar gatilhos mentais a minha marca se torna mais humana? A resposta para essa pergunta é sim, sua marca torna-se mais humana à medida que a interação entre sua empresa e seus clientes ocorre. E isso é bom, pois a marca passa a sanar as dúvidas e atender as necessidades dos clientes a partir das redes sociais.

Quais são os tipos de social commerce?

Existem vários tipos de social commerce e ferramentas que você pode usar para vender online. Essas ferramentas vão desde redes sociais, sites da empresa, fóruns, aplicativos, lojas virtuais e outras mais. Alguns dos sociais commerce que existem são;

Entre pessoas: Esse é o tipo básico de social commerce e nele você pode criar seu negócio ou vender algum item que não queira mais em plataformas como o OLX. Além disso, você também pode fazer anúncios em grupos, no marketplace do Facebook, Mercado Livre ou em outras plataformas.

Compras coletivas: Como explicado antes as compras coletivas é outro tipo de social commerce. Essa estratégia de compras coletivas estimula a venda de um produto ou serviço através de gatilhos mentais. Aqui no Brasil, por exemplo, temos sites como Groupon, Barato Coletivo e Peixe Urbano que trabalham com esse tipo de venda. Os principais gatilhos mentais usados são, a urgência e escassez.

Redes sociais: Explicamos que as redes sociais estão sendo bem vistas para começar novos negócios e gerar valor a marca . Isso porque é possível criar lojas através de plataformas como o Facebook e Instagram, além de manter o relacionamento com seus clientes, receber feedbacks, etc. Além disso, outra ferramenta que pode ser usada com essas plataformas é o WhatsApp Business. Nele você pode programar respostas, receber pagamentos e ter uma lista com um catálogo dos produtos ou serviços que você oferece.


Lisandra Sousa

Marketing GeoSales



Gostou do nosso artigo? Inscreva-se no blog GeoSales para não perder as novidades.

Esse artigo foi útil?
[Total: 1 Average: 5]

Deixe seu comentário